quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

MANGATA

MANGATA*

E a lua veio,
Cheia, exibida e faceira.
O corredor de prata
Da praia à eternidade
Estendeu seu rastro.
Você não veio,
Esperei e você não veio.
Mas a lua sim
E meu coração de lobo
Uivou para ela.
Os ecos desse uivo atravessaram o oceano
E eu fui.
Meu coração de lua minguou,
Mas estará cheio logo, logo...
Você?
Você minguou...
... e não é de lua!

* Mangata: palavra sueca que significa o caminho de luz deixado pela lua na superfície da água.

2 comentários:

Sérgio Airozo disse...

Achei lindo Mário, pricipalmente porque estávamos ali na praia esperando a lua aparecer, enquanto você criava este belo poema.
Foi mágico quando ela começou a criar o mangata.

Fátima Abrahão disse...

Querido amigo, que tu cometas, sempre, poemas como este, que fala da lua, do amor, do mar, do amor, da dor, ahhh, e da dor de amor... Cometa, astro, também deixa um rastro de luz , só que no céu... Cometas poemas sempre!!!

Total de visualizações de página