terça-feira, 27 de junho de 2017

PIJAMA

PIJAMA
(para Oscar – assim mesmo, sem sobrenome. Ele vai se reconhecer)

Na constelação de Órion
Já soou o alarme.
Nem precisa fazer alarde
Do que eu gostaria de fazer.
Não há lua cheia que encubra
Meu olhar de prazer.
Talvez apenas Alnitak, Alnilam ou Mintaka descubra
Aquilo que tenho reservado pra você.

No Equador Celeste
Órion é um par de corpos em conjunção.
Não preciso fazer alarde,
Não preciso me esconder.
Sabemos que cedo ou tarde
Alnitak, Alnilam e Mintaka
Me farão despir minha pele
Pra finalmente eu me vestir de você.

Você diz que está em minhas mãos,
Eu digo que estou nas tuas.
Que finalmente Alnitak, Alnilam e Mintaka
Revelem nossas peles nuas.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

MUITOS TONS

MUITOS TONS

_ Só tenho meia hora!
Ela não se surpreendeu. Recebeu-me com o mesmo sorriso e me convidou a entrar.
_ Vamos fazer esta meia hora render! _ Contestou.
Seus olhos brilhavam com a expectativa de me subjugar e fazer com que me rendesse aos seus pés.
Fez-me deitar ali mesmo, na varanda, e estirar músculos e nervos, já antevendo que eu realmente sofreria em suas mãos nos trinta minutos seguintes.
A cada urro meu regozijava-se ela! A cada novo toque, nova sensação de pujança! A cada intervalo neste pega e afrouxa um momento de delírio e êxtase que não chegava a ser um “quero mais”, mas um “estou chegando ao meu fim” talvez.
Suávamos os dois. Eu, obviamente, muito mais que ela, pois, entre subidas e descidas, gemidos e gritos, me extenuava a cada nova estocada.
Ela não se dava por satisfeita. Parecia querer me ver acabado, sem forças para voltar para casa. Parecia desejar ardentemente que eu esgotasse ali, em sua varanda, toda a energia de que dispunha e não economizasse nada para o que viria depois.
Era perspicaz, inteligente e visceral. Quando via que eu esmorecia me incentivava com um "estamos quase lá" ou um "você hoje está foda".
A meia hora se esgotou e ainda não tínhamos chegado ao fim. Ela se estendeu propositalmente, eu sei, para aumentar meu sofrimento e minha agonia, ante a possibilidade de um anticlímax que poderia ser fatal para esta relação dominadora/dominado.
Quando finalmente acabamos fugi dali, com as pernas ainda bambas, os músculos latejando e o corpo todo entregue à débil agonia do dever cumprido.
Cheguei em casa prometendo a mim mesmo nunca mais falar para minha personal training que a aula de funcional, que normalmente faço em uma hora, deveria fazer em apenas trinta minutos.

Para minha teacher Maryel Boff


segunda-feira, 5 de junho de 2017

UM MENINO

UM MENINO

O menino olhou para o mundo e sorriu.
Não haveria no mundo, mundo mais lindo que o seu.
Seu mundo estava cheio de luz, bichos e flores.
Encontrou uma centopeia e disse a ela:
“Bom dia, centopeia!”
Ela seguiu seu caminho e ele continuou sorrindo,
Afinal, tinha desejado um bom dia a uma centopeia
E ela, continuando em seu caminho, com certeza,
Era a forma de dizer a ele:
“Bom dia, menino!”
Levantou uma folha e se surpreendeu.
Debaixo da folha se protegiam centenas de formiguinhas.
Devolveu a folha ao seu lugar com todo cuidado.
“Ninguém deve tirar o teto de ninguém”,
Pensou o menino.
Alegrou-se ainda mais o menino
Ao ver uma borboleta pousando aqui e acolá.
“Tão bela é a borboleta”,
Admirou-se o menino,
“E ainda é leve como o ar.”
Mal sabia o menino que, mais leve que a borboleta,
Era o seu pensamento,
Espelho dos olhos vivazes,
Que fazia com que seus sonhos fossem capazes
De para bem longe fazê-lo voar, voar, voar...

terça-feira, 16 de maio de 2017

Apropiaciones e Imperfecciones

"Cuando pensamos en los distintos sentimientos que experimentamos en la vida solo me viene a la cabeza uno que se auto define en una palabra: amistad. El amor lo sentimos de muchas formas e intensidades. Amamos a la familia, a la naturaleza, a los animales, a nuestra pareja. Sentimos rabia hacia la injusticia, la injuria, la corrupción. Pero la amistad es la amistad y punto. Por eso siempre pienso el arte como la amistad. Arte es arte y punto. Puede ser llamada de fea, de agressiva, de sublime, de transcendental. Es siempre arte. No existe arte falsa, como no existe falsa amistad. Y cuando me preguntan cuál de estas palabras define a Leo Macias, yo digo: ninguna de las dos. Aunque cuando pienso en Leo siempre me viene a la cabeza nuestra amistad y su arte, sé que Leo es mucho más que eso. Para mi la palabra que define a Leo Macias es Universo y el Universo Leo Macias está plagado de amistades y de arte, y sé que tanto a uno cuanto a otro Leo jamás volverá la espalda. Hoy os invitamos a conocer la exposición Apropiaciones e Imperfecciones y a zambullirse en este Universo Leo Macias, en su obra que es como la vida misma: instigante, sensorial, imperfecta y apropiadamente bella." Mario de Lima

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Naturalmente...

O que chega de forma espontânea...

Vai ser amado.
Vai ser, amado.
Vai, ser amado!

Parte espontaneamente...

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

É ISSO...

É isso...

Eu não quero o que é seu.
Só quero o que é meu.
Mas, o que é meu?
O que como e bebo é meu.
A luz do sol (só aquela) que toca minha pele é minha.
A praia toda não é,
Mas a renda da maré, que me toca os pés, é!
O perfume das flores que aspiro é meu,
Quando devolvo à natureza, já não é.
Os beijos que roubei são meus.
Aquele toque fortuito que guardo na lembrança também.
O meu desejo é meu,
Já o seu desejo...
Ahhh... o seu desejo...
Ainda que seja também o meu desejo,
O seu desejo, amor meu,
Continua sendo seu!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

RETRATO FALADO 6 - RENATO NICOLIN

SURREAL
(Para: Renato Nicolin)
Não tentem classificar minh’alma
Como masculina ou feminina ou coisa e tal.
Meu espírito, quando quer realidade, pede calma,
Mas na maior parte do tempo eu sou surreal.

Não adianta ferir minha espinha
Com a adaga fria da traição.
Yemanjá é amiga minha
Me protege e te põe na minha mão.

Ah! Não! Não me venha com promessas vãs.
Eu curto o mar, as ondas e a areia,
Curto o sol de todas as manhãs
E trago a força de Oxóssi na veia.

Um beijo não vai me conquistar;
Nem tampouco uma noite de Gomorra.
Quer mesmo me fazer desmoronar?
Diga logo que me ama, PORRA!

Total de visualizações de página